Notícias

  • 28/07/2015

    Foco na estrada e na saúde

    Hoje em dia está na moda falar em exercícios físicos e boa alimentação. Alguns dizem que isso é balela, outros culpam a falta de tempo ou de dinheiro, mas é bom frisar que apenas alguns minutos podem fazer toda a diferença no dia a dia de qualquer pessoa. Mas você pode estar se perguntando: “O que isso tem a ver com reportagens sobre caminhões?”. Tudo!

    E quem assina embaixo é o doutor Dirceu Rodrigues Alves Júnior, diretor do departamento de medicina ocupacional da Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego). De acordo com ele, quem passa muitas horas ao volante pode ter fadiga, dor no corpo e sonolência. Aliás, esse é o terceiro fator que mais contribui para o aumento nos acidentes de trânsito.

    O primeiro passo para reverter essa situação é não ultrapassar oito horas dirigindo e ter repouso noturno, de preferência, longe da boleia. “Fora do local de trabalho (o caminhão, no caso) o ambiente deve ter pouca iluminação e ser livre de ruído. Isso chama-se higiene do sono, algo crucial para que o organismo reponha suas energias e restabeleça o sistema hormonal, tornando o motorista apto a encarar novas jornadas”, salienta o profissional.

    Durante a viagem

    A cada duas horas é necessário parar em local seguro e fazer alguns minutos de alongamento e, se possível, até uma caminhada – mesmo que seja em torno do caminhão. Esse momento fitness mexe com os músculos que ficaram inoperantes no momento da direção, minimizando chances de males posteriores, como a LER (Lesão por Esforço Repetitivo), por exemplo.

    Variações térmicas também podem interferir no organismo e no metabolismo do caminhoneiro. Por isso, se tiver com o ar-condicionado ligado, é bom desligá-lo antes de parar, a fim de que não haja mudança brusca de temperatura. E faça o mesmo ao entrar, abrindo a cabine para que o ar externo circule por ali e deixe as temperaturas (externa e interna) equivalentes, evitando alterações vasculares e respiratórias.

    Outra dica é sempre limpar o habitáculo do caminhão, pois os motoristas levam micro-organismos para o interior do veículo (seja pelo sapato, pelas roupas ou mesmo pelas mãos) o que pode acarretar na proliferação de bactérias, por sua vez, provocando inflamações, mal estar, calafrios, entre outros problemas.

    Por falar nisso, as doenças tropicais são outro fator de risco para quem vive na estrada. Por isso, previna-se. Sem contar as que são transmitidas por mosquitos. Então, sempre use inseticidas e repelente!

    Alimentação

     

    Por fim, a alimentação é outro cuidado necessário no dia a dia dos caminhoneiros. “É possível ter boa (e farta) refeição no período pré-sono. Na hora do almoço, o excesso pode provocar sonolência, o que vai contra a direção segura. Sendo assim, deve-se sempre ingerir verduras, legumes, frutas e alimentos de fácil digestão ao longo do dia”, finaliza o doutor.