Notícias

  • 25/08/2015

    CNTA pede participação dos caminhoneiros autônomos na Câmara de Assuntos Veiculares do Contra

    As decisões sobre os mais diversos assuntos que influenciam diretamente na atividade do caminhoneiro, como a obrigatoriedade de kits de primeiros socorros, faixas de segurança, alteração nos caminhões, tais como: tamanho, comprimento, dimensão e peso são discutidas e decididas na Câmara Temática de Assuntos Veiculares do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito). É um dos colegiados mais importantes para os caminhoneiros. No entanto, nenhum representante dos caminhoneiros autônomos participa desse grupo. Essa é a reivindicação da CNTA – Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos: ter um representante da categoria nessa Câmara.

    A CNTA encaminhou um ofício aos deputados que participam da Comissão Externa da Paralisação dos Caminhoneiros da Câmara dos Deputados pedindo apoio para que o Governo federal nomeie um representante dos autônomos nesse colegiado do Contran. Durante audiência pública, realizada em Brasília, na semana passado, o presidente da CNTA, Diumar Bueno, protestou contra a postura do Governo Federal que se comprometeu a indicar um representante para a Câmara do Contran, mas até agora não cumpriu.

    “Mesmo com todo o peso que tem os caminhoneiros autônomos, responsáveis por 50% da força do transporte de carga no país, os caminhoneiros não têm representação e assento nessa Câmara. Historicamente, nós estamos reivindicando, isso foi devidamente referendado pelos representantes dos caminhoneiros e embarcadores nas reuniões do Grupo de Trabalho (GT2), no âmbito do Fórum Permanente para o Transporte Rodoviário de Cargas (Fórum TRC) do Ministério dos Transportes. O Governo assumiu um compromisso e é uma medida simples”, afirmou Bueno.